title=
MOÇAMBIQUE» SER DIFERENTE NA LUSOFONIA» »

O negro também é racista

por
elisio@opatifundio.com
9 de June de 2009

Um outro gênero de racistas, o pior de todos: o daquelas pessoas que têm preconceito com sua própria raça

racismo2 300x225 O negro também é racistaJá há muito tempo estava a espera que o Michell lançasse este especial: ser diferente na lusofonia, o que quer dizer que já há muito tempo penso em escrever sobre o título deste artigo. Bem, sobre o racismo muito foi dito, e as definições para este termo estão lá na Wikipédia.

Começando pela filosofia do racismo, vou citar aqui um parágrafo da Wikipédia: “O racismo é um preconceito contra um “grupo racial”, geralmente diferente daquele a que pertence o sujeito, e, como tal, é uma atitude subjectiva gerada por uma seqüência de mecanismos sociais.”. Veja o que aparece quando dizem geralmente: negro contra branco, branco contra negro etc. Este é o racismo normal. Mas o que eu quero falar aqui é de um outro gênero de racistas, o pior de todos: o daquelas pessoas que têm preconceito com sua própria raça.

Não precisamos vir directamente a Moçambique para entender o fenómeno, com uma simples pausa nos EUA, e uma pequena pesquisa sobre as lendas de Michael Jackson vemos um caso típico. Não sei se é verdade o que falam sobre ele, mas é interessante!
A pergunta agora é: porque Michael Jackson? Será que em Moçambique temos outro caso de alguém que “tirou a pele”? Não, nada disso, mas pessoalmente seria melhor se tirassem!

Ok, vamos aos factos (dizem que contra eles não há argumentos!): você é negro (qual a diferença entre negro e preto?), vai a um estabelecimento público, a última vez que passei por isso foi no banco BCI, o funcionário é negro(este merecia ser preto!), e entre os clientes estão negros e brancos. Quem geralmente receberá o melhor atendimento? Nos casos em que viví, a resposta foi muito simples.

O estranho é que, pelo menos por aqui, isto acontece com menos frequência, ou quase nunca, quando o funcionário é de uma cor diferente de minha (minha cor está na minha foto lá em baixo!).

Então, o que posso concluir destes “pequenos” factos, é que alguns negros ainda têm medo do branco, sentem-se escravos. Enquanto este sentimento permanecer, o racismo não poderá acabar.

Lembro-me que era obrigado a mostrar maior respeito a um branco, italiano, amigo da família, em relação a outros amigos da minha família, só por ele ser branco e trazer um bolso melhor que o meu sempre que vem nos visitar. Eu detestava isso, e ainda detesto, mas em algumas ocasiões nossa opinião não conta, logo devemos obedecer calados.

Antes de terminar o artigo vou falar dos nossos “compadres” chineses. Sempre ouvem-se casos de maus tratos aos trabalhadores negros por aqui. Será isto um acto racista ou é natureza deles mesmo, devido ao Kung-Fu? E no resto da lusofonia também verificam-se estes fenómenos?

 O negro também é racista

Elisio Leonardo

é moçambicano, estudante de informática da Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo, e é autor do site MZ Noticias.

Outros artigos deste autor - Website

Tags: , , , ,

Warning: file_get_contents(http://widget.dihitt.com.br/tools/api_link?url=http://opatifundio.com/site/?p=2359&comments=1) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 502 Bad Gateway in /home/opatifun/public_html/site/wp-content/plugins/dihittForWordpress/dihittForWordpress.php on line 89

POLÍTICA DE COMENTÁRIOS

- Colabore com a democracia e mantenha o bom nível do debate. Exerça a liberdade de expressão com responsabilidade.

- Comentários sem identificação serão apagados. Prática de SPAM,ofensas, xingamentos, demonstrações de racismo ou intolerância religiosa, racial ou política também. O contraditório é garantido e ansiosamente aguardado, desde que ele seja bem usado.


Warning: file_get_contents(http://widget.dihitt.com.br/tools/api_link?url=http://opatifundio.com/site/?p=2359&comments=0) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 502 Bad Gateway in /home/opatifun/public_html/site/wp-content/plugins/dihittForWordpress/dihittForWordpress.php on line 89
13 comentários

  1. ..trabalhei na comunicaçao social onde apreciam negros de varios paises pagos pelo nosso pais para aprender????pois poucas habilitaçoes tinham nao compareciam as aulas e….o racismo entre eles era impressionante mesmo sendo do mesmo pais como por exemplo tive de 1 vez 1 s.tome 2 de guine e 1 de cabo verde..as da guine se odiavam por 1 ser de 1 etnia e outra de outra o s.tome me destestava pork nao keria aprender alfabetico com w e y k dizendo k eu era 1 velha desactualizada [na altura tinha 30 anos]…..resultado sempre faltavam pois andavam nas compras…..m rescusei a ensinar…eram aulas de odio racil..nao da minha parte pois os considero = a mim cor nao interessa!!somos todos humanos e nos devemos respeitar!!!

  2. moreijo says:

    ja tive oportunidade de prestar serviços comunitários em favelas no Brasil e sempre observei que eramos bem recebido,pessoas de varias etnias moram neste local,mas como sabiam que estávamos ali para ajudar e principalmente aprender com a simplicidade deles ,dávamos muito bem na comunidade,cheguei a conclusão que devemos antes de tudo nos apresentar ,onde vamos e deixar levar pelos costumes do local,assim todos vivemos em comum e ensinamos e aprendemos para que o nosso futuro seja melhor…sem distinção de cor,raça,religião e outros…aproveitando deixo meu abraço amigo a todos nossos amigos da língua Portuguesa no mundo…fuiiiiiiiiii

  3. Olá.

    É curioso que no Porto, há alguns anos, havia uma discriminação positiva com os africanos. Não havia emigrantes económicos e os pretos que cá residiam eram quase todos de classes altas. Portanto quando um preto entrava num restaurante ou numa loja qualquer era mais bem tratado que a média.

    Não pela cor da pele mas porque era um cliente endinheirado.
    Penso que este raciocínio se aplica muita das vezes.
    Quando não havia emigrantes brasileiros pobres em portugal um brasileiro cá era um turista endinheirado, artista de telenovela ou um técnico bem pago.

    E, independentemente da cor da pele, os ricos são regra geral mais bem tratados que os pobres…

    Quanto aos chineses é bom realçar que a China não é propriamente uma campeã dos direitos humanos. É natural que as pessoas apliquem as práticas do seu pais de origem.

    E no tratamento de pessoal menor basta perguntar a uma doméstica brasileira que trabalhe em Portugal qual a patroa que prefere. A portuguesa ou a brasileira. salvo raras excepções são mais bem tratadas em Portugal.

    Isto não significa que as pessoas sejam melhores ou piores. Apenas que há culturas diferentes.

  4. beatriz says:

    gostei muito do site e queria saber exemplos de racismo com o negro e com o branco .relatos de pessoas que sofreram ou que foram racistas ,preciso pois estou pesquisando para a fera de ciencias .obrigada e agradeço se alguem relatar para mim acontecimentos ligados a isto.

  5. Renato says:

    Sou brasileiro e a cor da minha pelo é branca. Quando jovem, fui convidado a fazer parte de um grupo de rap por um grande amigo meu (negro). Chegando na audição a maioria so presentes arregalarm os olhos e se espantaram. Esparem por uma pessoa negra, jamais por um “alemão” de olhos azuis. Bem, como meu amigo era muito respeitado por lá, não fui mandado embora no mesmo instante (pois tal vontade estava estampada na cara de cada pessoa lá), um dos líderes chegou até mim e disse que para fazer parte dop grupo eu deveria falar mal de gente branca e de polícia. Caso contrário, nada feito.

    Tentei, mesmo com isso, conversar com essa pessoa e esclarecer que o rap era um intrumento poderoso para transmitir uma mensagem positiva às pessoas e que seria completamente contrário à minha pessoa criticar minha prórpia raça, minha intenão nunca tinha sido criticar nenhum. Nesse momento ele olhou pra mim e disse que o objetivo lá era criticas os “playboy” branquinhos e ponto final.

    Isso nos mostra que o racismo está na mente das pessoas e enquanto os negros se sentirem inferiorizados e se acharam menos valiosos que os brancos , esse problema nunca vai acabar.

    Forte abraço

    Renato

  6. Alexandra says:

    Contra sua própria raça? Estou indignada!!!

    Pensei que alguém falaria sobre o racismo deles para com as outras etnias que é bem maior do que as pessoas querem acreditar.

    Quem diz isso? Um afro- americano. Não lembro o nome dele, depoiis eu posto aqui.

    Hipócritas!

  7. joao e pinnto says:

    gostaria de perguntar se existe casos de racismo entre negros me mandem algum relato

  8. heralde says:

    Em Angola isso é normal, nas discotecas um branco pode ir todo desarrumado que nunca é barrado e se for um preto mesmo bem preparado corre grandes riscos de ser barrado, e isso porque o porteiro é preto(engraçado né).
    E outra coisa que há em Angola é que os negros com o tom de pele um pouco mais claro são mais valorizados que os negros com o tom de pele mais escuro algo que eu acho horrível e considero tbm como racismo, esse sim é o pior de todos porque é o negro menospresando um negro em relação a outro negro so porque tem o tom de pele um pouco mais claro, coisa que em países que são considerados como racistas não existe, por isso acho que muitas vezes em certos países africanos há mais racismo do que na própria Europa!!
    O.B.S- Sou angolano e preto.

  9. A Universidade Lusófona discrimina os negros ,os professores tratam os negros como animais inclusive dão classificação mais baixa aos negros justificando que sabem menos.
    Existe apartheid na salas de aulas e a direção nada faz para resolver este constrangimento numa altura que milhares de portugueses se dirigem a procura de nova vida para o outro continente algumas instituições continuam a maltratar o negro.
    A direção da universidade deveria corrigir urgentemente esta situação para não perder alunos incluindo dos palops.
    Outras injustiças são feitas a outros níveis que serão denunciados com o tempo.

  10. Vitor says:

    Dizer que racismo é normal é ignorância.
    Hitler se os judeus não fossem exterminados, o mundo seria um caos.
    Pois então que surge Albert Einstein, judeu, que da um grande impulso na Ciência e na pesquisa.

    Esse é um ótimo exemplo de que o que há é uma Subestimação.
    Alguns brancos ainda subestimam que os negros são inferiores, tem capacidade intelectual inferior, etc…
    Alguns negros subestimam que TODOS os brancos SUBESTIMAM os negros!

    Isso é muito pessoal, qualquer pessoa tem direito de ter receio, aversão do que quiser, DESDE QUE isso não fira terceiros!

    “Ah, eu não gosto de nordestinos, são isso, aquilo…”

    Tudo bem,está é a sua opinião, o que NÃO CORRESPONDE COM A VERDADE,
    DESDE QUE você não influencia outras pessoas, e não expresse esse pensamento, você tem todo direito de EVITAR essas pessoas…
    Mas também, você não poderá trabalhar em lugar nenhum, ou terá que ter sua empresa, que provavelmente não prosperará já que você Pré Seleciona seus empregados apenas pelo estado, ou pelo jeito que falam, cor da pele, etc…

  11. josiane says:

    os negros não são racistas não! só tem coragem de comprar um cabelo liso e pendurar na cabeça e sair desfilando por aí,com um cabelo de branco na cabeça! sinceramnete!

  12. josiane says:

    Há! isso ainda quando não preferem um cabelo liso loiro!
    essa foi a útima! foi a gota d’agua!

    ou raça racista! meu deus!

  13. Jorge Barros says:

    Uma opiniao insultuosa para aqueles que lutaram em prol da igualdade de direitos para a etnia africana. Equivale a dizer que os escravos nao lutaram pela liberdade, mas pelo direito de possuir escravos.

Deixe seu comentário!